Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Salvador Correia: Pai, Marido, Fotógrafo

Salvador Correia: Pai, Marido, Fotógrafo

E já passaram 2 anos! É o rei dos clichés, mas perdoem-me agora é a minha vez de o dizer: o tempo passa a voar quando somos pais, ainda ontem a vida parecia pouco mais de um dia a dia de trabalho casa, copos e deitar à hora que apetecesse para hoje passar a um dia a dia de trabalho - trabalho em casa - deitar o mais cedo possível porque nunca se sabe o que vai ser a noite a seguir. E tudo isto é bom, a parte de não dormir não é, eu amo a minha filha mais do que a mim próprio, (...)
07 Jul, 2019

Dourada no forno

Hoje trago-vos uma receita Pingo Doce, que para quem como eu, foge a 7 pés de cozinhar peixe com medo de ora o deixar seco demais, ora mal cozinhado, é uma execelente maneira de se iniciarem na cozinha com esta proteína. Tudo o que que precisam é de 2 douradas (peçam para as arranjarem na peixaria que assim é só chegar a casa e lavar), 1 limão, 1 pepino, azeite a gosto, sal e pimenta. Para o (...)
A última vez que escrevi aqui contava-vos a história de um filme de 8 anos da minha vida terminada numa viagem a um dos destinos mais maravilhosos do nosso país onde, embora longe dos meus amores, dificilmente poderia ter terminado melhor. No fim, acabei a fazer o fazia melhor, numa das ilhas mais bonitas de Portugal e do Mundo.   Entretanto o meu mundo virou do avesso pela positiva meus amigos, e que volta! Deixei um emprego de 8 anos onde aprendi muita coisa, onde conheci tanta, (...)
Deixem-me primeiro deixar aqui uma nota para os pais a quem parece que nada corre mal, que a vida é maravilhosa e os filhos dormem noite dia ao ponto deles parecerem mais descansados que eu quando não tinha filhos: vão à merda. Era só isto. Se tiveram fair play parabéns, o resto do texto vem a seguir. O Senhor de Matosinhos é para as pessoas da terra que lhe dá o nome o apanágio do início do verão. Aliás posso dizer com certeza que mesmo que neve, havendo arraial da terra é (...)
Foi o Porto - Aves, um jogo de futebo disputadíssimo de grandíssima intensidade ao longo dos 90 minutos. Só que não. Foi um momento frio de alguma chuva com o meu sobrinho que obviamente não sentiu absolutamente nada. A paternalidade fez de mim um pré-idoso na casa dos 30. E as fotografias foram tiradas com o telemóvel, e sim foi no estádio do Dragão e sim sou portista. É o que temos, voltem sempre.
Ah, as mudanças de casa! A inegável alegria de mudar para um espaço novo, para uma casa nova, onde vamos aumentar a nossa qualidade de vida, ver sorrir a luz e ser felizes. E onde esperemos que depois de ser exorcisada por um padre, por alguma razão o demoniozinho lá de casa vai berrar menos um bocado. Começar a escrever pela conclusão é que está a dar. Faz parecer o processo uma coisa mais linear. No entanto, o processo, o caminho até chegar ao ponto onde dizemos que as (...)
O estado constante de desapego às coisas a que chamamos sanidade mental. O dia nunca acaba, nem nunca começa, a melhor experiência que se pode ter em Portugal sobre o que é viver na Suécia onde o sol raia durante 22h e o resto do tempo é uma espécie de tempo onde te encostas e fazes de conta que estás a dormir enquanto rezas todas as rezas que conheces para não e ligarem ou o bebé não berrar, ou pior ainda (valha-nos Deus) não acontecer as duas coisas, ao mesmo tempo.